segunda-feira, junho 18, 2007

domingo, junho 17, 2007

Estrela do Mar

«Numa noite em que o céu tinha um brilho mais forte
E em que o sono parecia disposto a não vir
Fui estender-me na praia, sozinho, ao relento
E ali longe do tempo, acabei por dormir

Acordei com o toque suave de um beijo
E uma cara sardenta encheu-me o olhar A
inda meio a sonhar perguntei-lhe quem era
Ela riu-se e disse baixinho: estrela do mar

"Sou a estrela do mar só a ele obedeço
Só ele me conhece, só ele sabe quem sou
No princípio e no fim Só a ele sou fiel e é ele quem me protege
Quando alguém quer à força Ser dono de mim..."

Não sei se era maior o desejo ou o espanto
Só sei que por instantes deixei de pensar
Uma chama invisível incendiou-me o peito
Qualquer coisa impossível fez-me acreditar

Em silêncio trocámos segredos e abraços
Inscrevemos no espaço um novo alfabeto
Já passaram mil anos sobre o nosso encontro
Mas mil anos são pouco ou nada para estrela do mar

"Estrela do mar Só a ele obedeço
Só ele me conhece, só ele sabe quem sou
No princípio e no fim
Só a ele sou fiel e é ele quem me protege
Quando alguém quer à força
Ser dono de mim..."»


«Estrela do Mar», JORGE PALMA, 1984

Cara de Anjo Mau

«Os teus olhos sao cor de polvora e o teu cabelo e o rastilho,
O teu modo de andar e uma forma eficaz de atrair sarilho,
A tua silhueta e um misterio da criacao,

E sobretudo tens cara de anjo mau!
Cara de anjo mau, tu deitas tudo a perder,

Basta um olhar teu e o chao comeca a ceder,

Cara de anjo mau, contigo e facil cair,

Quem te ensinou a ser sempre a ultima a rir?
Que posso eu fazer ao ver-te acenar a ferida universal?

Que posso eu desejar ao avistar tao delicioso mal?

Que posso eu parecer quando me sinto fora de mim?

Que posso eu tentar senao ir ate ao fim?
Cara de anjo mau, tu deitas tudo a perder,
Basta um olhar teu e o chao comeca a ceder,
Cara de anjo mau, contigo e facil cair,
Quem te ensinou a ser sempre a ultima a rir?
Por ti mandava arranjar os dentes e comprava um colchao,
Por ti mandava embora o gato por quem tenho tanta afeicao,
Por ti deixava de meter o dedo no meu nariz,
Por ti eu abandonava o meu Pais!
Cara de anjo mau, tu deitas tudo a perder,
Basta um olhar teu e o chao comeca a ceder,
Cara de anjo mau, contigo e facil cair,
Quem te ensinou a ser sempre a ultima a rir?»



Jorge Palma (1985)

sábado, junho 16, 2007

"Aconteceu na Argentina"

Dentro de um ambiente de insegurança, desconfiança, suspeita e conjectura, o povo argentino reclama perante as autoridades os seus ente queridos desaparecidos. O filme retrata na perfeição a dor, o sofrimento, de inúmeras mães que perdem os seus filhos, de pais que desoladamente vem «desaparecer» os filhos. Enfim…
A ditadura militar a todo o custo quer que os seus esqueçam o passado. Mas até que ponto pode o homem esquecer aquilo que ele é? Não é porventura o passado a raiz da identidade pessoal e colectiva? Esquecer o Passado não é condenar o homem ao erro, à desorientação, a um nihilismo aterrador e vazio?



Fica o pensamento: o que é para o leitor o Passado? Que significado tem ele para si? Em que medida ele pode ser para si sinal do amor redentor de Deus?

quarta-feira, junho 13, 2007

Coldplay "Clocks" music video

Coldplay - Don't Panic

O afloramento das interrogações


Estamos a terminar mais um ano lectivo e as interogações começam aparecer como nunca. Revemos os tempos passados neste encontros e desencontros de emoções e sentimentos partilhados...A vida mostra-nos o quanto nós somos importantes para Ela. Ainda ontem, parece-nos a nós, inconcientes, é claro, da objectividade cronológica, estava eu a iniciar mais um ano lectivo. Mas, na verdade, um ano de trabalho está praticamente a findar. E as interrogações afirmam-se com mais vigor quando se avisinham tempos de cepticismo e dúvidas... Que será de nós para o ano? Estaremos ainda aqui? Estaremos juntos como uma família, percorrendo o único caminho, Jesus Cristo que é o Caminho, a Verdade e a Vida?

domingo, junho 03, 2007